domingo, 28 de março de 2010

XV - Καλεπα τά καλα

Tem dias em que sinto-me tão mal,
Tão ruim, tão lixo, quase tendo um treco,
Que só melhora mesmo o meu astral
Se sento na privada e lá defeco.

Mas não é qualquer tipo de cagão:
Só vale aquele que é um exercício.
Pois, como bem diria-nos Platão,
É belo, muito belo o que é difícil.

Há que gemer, suar p'ra mais de hora!
Bem mais gratificante é a cagada
Se a louça só a custo a merda borra.

Por isso aqui eu sento e me contorço
Até que tanja o fundo da privada
Algum cocô nervoso e troppo grosso.

5 comentários:

mel disse...

como diria platão HAHAHA muito bom!

Rodrigo disse...

Sem esforço nada vale a pena? Que discursinho roberto justus essa caganeira...

Hugo ∂i-mark/∂x disse...

Genial. A cagada épica que é bela mesmo. É dela que lembramos.

Pablito disse...

que merda

Luden disse...

essa cagada só não ganha daquela que a bosta faz um "U" na privada

Site Meter