segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

XIV

Tu me dizes que eu sou feio,
troglodita e beberrão;
que meu copo vive cheio,
que eu sou duro como o chão.

Sem embargo, minha amiga,
eu bem sei o que tu sentes:
não importa o que tu digas,
tu me queres loucamente.

Quando cagas à noitinha
refletindo sobre o mundo,
eu bem sei por quem suspiras.

Sei que tu, bem lá no fundo,
Sonhas ser um dia minha
E lamber a minha lira.

3 comentários:

Cassius disse...

Genial!

reinalda disse...

fiquei satisfeita, vc tem vocabulário... parabéns!!!

Giu Confuorto disse...

Foda, véi.

Site Meter